Massagem Ayurvédica Abhyanga

A abhyanga é uma massagem ayurvédica originária na India há mais de 5.000 anos. Somente nas últimas décadas foi introduzida ao Ocidente, saindo da India e passando pela Europa e EUA.

Ayurveda em sânscrito significa: ayu – vida e veda – conhecimento, assim, descrevem os princípios da vida, a ciência da longevidade e do viver bem por meio dos tratados Ayurvédicos. Propõe que cada ser é único e manifesta seu temperamento e funcionamento de forma singular.

Abhyanga significa untar, friccionar. A massagem abhyanga é a técnica mais utilizada para os tratamentos ayurvedicos após avaliação e possível dieta desentoxicante. O processo consiste em alta absorção de óleo vegetal adequado ao dosha para nutrir a pele, os tecidos, liberar toxinas. Produz aumento na circulação dos fluidos vitais e as trocas de nível celular.

Acredita-se que as dores são causadas pela obstrução do fluxo de prana pelos nossos canais, ou seja, a nossa energia vital. Com a massagem o calor que é gerado pela fricção e pelo leve aquecimento do óleo, permite que os ares que circulam por nosso corpo se expandam e se movam, aliviando assim dores e tensões.

Esta técnica esta incorporada a rotina diária dos Indianos.

O principal objetivo é proporcionar a harmonia natural do corpo, mente e espírito, equilibrando o físico e o energético.

Os principais objetivos são:

  • Nutrição e revitalização dos tecidos

  • Remoção das toxinas

  • Melhoria da circulação

  • Melhoria do sistema imunitário

  • Melhora do poder digestivo

  • Lubrificação dos músculos, tecidos e articulações

  • Aumenta a flexibilidade

  • Induz o relaxamento

  • Aplicada com regularidade promove o rejuvenescimento

  • Relaxamento muscular

  • Equilibra o sistema nervoso

  • Promove a dissolução do estresse, tensão emocional, e ansiedade

  • Reduz edemas

  • Reduz inchaços

  • Beneficia nos tratamentos de cefaleia

  • Promove a libido

É contraindicado, nos casos de acúmulo de toxinas (verificado pela avaliação), infecções com febre, resfriados e menstruação (podendo causar aumento do fluxo menstrual), trombose e tromboflebite, náuseas, vômitos e diarreia.